quinta-feira, junho 13, 2013

Fernando, no Dia do António


Gosto deste Fernando Pessoa, de Carlos Botelho, difuso, quase mais que um. 

E ele foi tantos...

Tantos que conseguiram fazer quase tudo com as palavras...

As bebidas fortes que ele tanto gostava, ou pelo menos usava, para "afogar" as mágoas, também o faziam ver em duplicado ou triplicado...

Não acho que se deva tirar o dia ao António, Santo Popular, que enche os bairros lisboetas de alegria, pelo menos em Junho, mas o Fernando, não lhe ficou nada atrás em talento. 

Claro que não quebrou tantas bilhas e menos casamentos fez.

Tudo por causa do Desassossego, que raramente o deixava em paz...

8 comentários:

  1. ele foi o maior!
    também gosto!
    beijo

    :)

    ResponderEliminar
  2. Para mim (que me perdoem os defensores de Camões) o maior poeta português de sempre. E depois o António também se chamava Fernando não era?
    Um abraço

    ResponderEliminar