quarta-feira, fevereiro 23, 2011

A BTL Começa Hoje

A BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa) continua a ser um marco importante no nosso turismo.
A partir das 10 horas, as portas abrem para os profissionais.
Vou ver se dou uma saltada até lá, depois do almoço.
Claro que a escolha deste cartaz é uma provocação, a um país que desprezou o melhor transporte do mundo, em benefício do petróleo (do alcatrão, da gasolina e do gasóleo).

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. E os comboios que sobrevivem perderam o seu charme interior e mais parecem aviões, Luís. Uma tristeza. :-S

    ResponderEliminar
  3. é verdade, Luisa.

    estive uns anos bons sem andar de comboio.

    quando me decidi a viajar fiquei completamente desiludido. nem sequer as janelas se abriam, para sentirmos o vento no rosto ou a fazer esvoaçar os cabelos...

    ResponderEliminar
  4. fui muitas vezes durante vários anos seguidos, quando trabalhava no sector. infelizmente, não vou mais... um beijinho, luís.

    ResponderEliminar
  5. é um espaço agradável, para quem gosta de turismo e de viajar, Alice.

    ResponderEliminar
  6. concordo em absoluto com a tua leitura sobre o cartaz promocional.
    quererá dizer alguma coisa, ou são só infelizes analogias?

    ResponderEliminar
  7. quer dizer que os interesses do país raramente são os de quem nos governa, Maré.

    isso explica esta sensação de caminharmos para o abismo...

    ResponderEliminar
  8. Também lá estive porque sou do meio, sou agente de viagens, mas foi inevitável sentir uma certa desolação pelo que o Turismo, como industria já foi, mas a vida é mesmo assim.
    Gostei da provocação, do comboio, mas acho que todos os meios são bons, e o importante é mesmo viajar.

    ResponderEliminar
  9. claro que os tempos não são tão faustos, muito do material exposto eram "restos" de outros anos, Anita.

    mas o turismo continua a ser uma das esperanças do país.

    é preciso é que alguns empresários mudem de filosofia, deixem de combater a crise apenas com a baixa de ordenados ou congelamento dos mesmos...

    ResponderEliminar