segunda-feira, novembro 19, 2012

As Mulheres, as Bicicletas e as Conversas


Há muito tempo que uma mulher não me tentava "encher a cabeça", dizendo cobras e lagartos de uma colega.

A mensagem transmitida, era que eu estava enganado em relação a uma moçoila, com quem gosto de conversar e simpatizo. 

Fui ouvindo com um sorriso, sem fazer grandes comentários.

De regresso a casa tentei perceber as motivações de toda aquela "má língua", mas não consegui. Como não me encontro no meio de nenhum "triângulo amoroso", ainda me soou mais estranho. 

Claro que vou continuar a tratar a moçoila da mesma forma, retribuindo a sua simpatia, pouco preocupado com os problemas que possam existir com a colega.

O óleo é de  Maia Ramishvive.

10 comentários:

  1. Podem não ser só mulheres a falar de outra mulher, como a falar de um homem ou homens a falar de uma mulher ou de outro homem. Continua a parecer-me um problema que não sei bem ainda como resolver é quando alguém de quem gostamos começa a dizer algo de mal de alguém de quem também gostamos.

    ResponderEliminar
  2. Se toda a gente reagisse assim à "má lingua", o mundo seria um lugar melhor.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. e Às vezes é mesmo má lingua...

    beijo

    ResponderEliminar
  4. Nunca entendi muito bem o que é que as pessoas ganham em dizer mal das outras. Parece-me que toda a vida houve gente que não tem espelhos em casa.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. há coisas que não se entendem.... :(

    Beijinhos Luís :)

    ResponderEliminar
  6. sim, Gábi, mas as mulheres falam mais da vida alheia que nós.

    somos mais distraídos (ou fingimos...). :))

    ResponderEliminar
  7. sem fui teimoso, Rita.

    sempre gostei de ser eu a fazer os meus "juizos" sobre os outros.

    ResponderEliminar
  8. algumas pessoas ganham, Elvira.

    quando se tem um chefe que alimenta a "má língua" e a "bufaria"...

    ResponderEliminar