domingo, abril 07, 2013

A Música das Águas que Sobem e Descem


As barragens continuavam a abrir as comportas e a fazer subir a água dos rios e a formar ilhas, um pouco por todo o lado, deixando algumas povoações quase isoladas.

Como de costume, nem toda a gente ficava triste com esta mudança. 

Numa das aldeias isoladas rente a Santarém havia pelo menos duas pessoas que adoravam esta paragem no tempo: o Inácio que tinha a oportunidade de andar com o seu barco pelas ruas, como se fosse um "gondoleiro" de Veneza e a Margarida, que tocava piano o dia todo, virada para o rio, como se buscasse inspiração nas águas movimentadas...

O óleo é de Ernesto Arrisueno.

8 comentários:

  1. Virada para o rio, a inspiração a surgir, um piano a embalar uma melodia no ar.

    ResponderEliminar
  2. grato pela quadra, anónimo (a).

    ResponderEliminar