segunda-feira, abril 25, 2016

Abril Sem Idade


ABRIL SEM IDADE

Abril é um poema sem idade
Que invade o sonho dos poetas
E lhes lembra a Praça da Liberdade
Que encontraram de portas abertas

Fizeram da praça uma canção
Que percorreram de mãos dadas
Com o povo e as forças armadas
Dando vivas à Revolução

 Saudaram os capitães-coragem
Erguendo um cravo encarnado
E gritaram de punho fechado
- Já chega de malandragem!

Apesar dos anos passados
Continuam na Praça da Liberdade
E exclamam encantados,
Abril é um poema sem idade!

Luís [Alves] Milheiro


6 comentários:

  1. Gostei do poema. Abril foi uma realidade que despertou em nós sonhos, que tardam em se concretizar.
    Abraço e bom feriado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acontece sempre isso depois das revoluções, Elvira...

      Eliminar
  2. ~~~
    Concordo com o poeta.

    Envio um beijo amigo num cravo vermelho...
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijos e Cravos também para ti, Majo.

      Eliminar
  3. um poema muito actual a lembrar uma data que nao deve ser esquecida.
    gostei!
    beijos
    :)

    ResponderEliminar