domingo, junho 07, 2015

A Mulher Solidão


«A primeira vez que a vi, estranhei encontrar tanta solidão numa mulher bonita. Achei estranho ver uma mulher, que não devia ter mais de quarenta anos, sozinha. Esquecido que nós, homens, preferimos muitas vezes enfrentar um tigre a uma mulher com garras.

Foi quando me foi apresentada pelo Nicolau, com uma história que fiquei a saber que fazia parte do anedotário da vila. Todos falavam dela como a Bela "corta pichas”, embora só tenha usado uma vez, uma pequena lâmina de barbear num desses pedaços de carne, que julgava ser apenas seu.

O sentimento de posse é terrível.

Muitos homens troçavam dela, nas suas costas, fingindo que estava longe de ser uma história glorificante para os homens.

O mais curioso é que apesar de ter sido a Bela, quem fez sangue pela sua honra, deixou de ter pretendentes. Somos uns cobardes, só assim se percebe que tenhamos medo da sua beleza selvagem. Ou da lâmina, como referiu Nicolau, com um sorriso brejeiro.»


A fotografia é de Maciek Lesniak.

4 comentários:

  1. Uma história de mulher que pode ser, a esse e a outros níveis, a história de tantas mulheres...
    Um abraço.Luís

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que pode, Graça.

      Tantas vezes que a realidade finta a ficção.

      Eliminar
  2. que história!

    lembro de uma parecida que foi muito falada uma Lorena Bobbitt.

    beijinho

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As histórias repetem-se, Piedade. :)

      Eliminar