terça-feira, março 08, 2016

«Então, já compraste flores?»


«Então já compraste flores?»
«Não.»
«Já percebi, estás a fingir que pertences ao clube dos homens esquecidos.»
«Não. Só não ligo muito ao negócio destes dias. E ainda menos à hipocrisia reinante de tornar a mulher rainha por um dia.»
«Como  é que eu me fui esquecer da tua superioridade intelectual...»
Acabámos a sorrir os dois. Foi quando chegou o Carlos Alberto, de luvas e sobretudo. Ele sim era homem para oferecer flores, bombons ou perfumes... E a Rita não perdeu a oportunidade para lhe devolver a mesma pergunta que me fizera.
«Então já compraste flores?»
«Claro. Sou sempre um homem prevenido nestes dias festivos.»
«Eu sabia... Como vocês são diferentes...» E sorriu.
«E ainda bem, só assim é que estes nossos cafés têm graça.» Rematou o Carlos.
«O que é que vocês dão mais importância numa mulher?»
«Sabes que a beleza sempre foi fundamental» Disse eu.
«Concordo. A mulher é  um olhar, um corpo, um sorriso, um andar...»
«Fizeste uma quadra, Carlos. Temos poeta!» E continuou. «Ainda bem que não me vieram com o palavreado de "miss", a falar da inteligência...»
«Mas eu gosto de mulheres inteligentes. Por que achas que estou aqui?» Insisti eu.
«Que parvo! Essas coisas não se dizem em dias como o de hoje. Estragam o ego de qualquer mulher.»
«Não te preocupes, eu não acho que a inteligência seja fundamental. Aliás vocês são mais esperteza que inteligência. É assim que levam a água ao moinho...» Explicou o Carlos.
«Vocês são terríveis. Só pela vossa conversa deviam ser obrigados a oferecer-me uma flor.»
«Pode ser de papel?»
«Querias...»

E lá fomos os três até à florista da esquina. O que um homem faz para ver uma mulher com um sorriso de orelha a orelha...

(Óleo de Dima Dmitriev)

6 comentários:

  1. Há uma parte de nós, mulheres, que adoram essas coisas :) e algo irracional :)

    Olha não tive nenhuma flor :))

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora, Glória?

      (tem de ser um ramo...)

      Eliminar
  2. Gostei de ler.
    E sabe de uma coisa? Meu marido não me deu flores hoje. Em compensação deu-me flores e uma caixa de Ferrero Rocher no dia 5 de Março. Sabe porquê? Começamos a namorar nesse dia em 1965.
    Um abraço
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo.

      Todos os dias são Dia da Mulher, Elvira.

      Eliminar
  3. Luís, felizmente não recebi nenhuma flor. Julgo que me entendes.
    Detesto mesmo receber qualquer presente nesta data.
    Se a comemoração continua a fazer sentido, será noutra frente, a da luta por direitos fundamentais. O resto é negócio e fait divers.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que eu penso, Isabel.

      A luta é diária, todos os dias são da Mulher e do Homem.

      As festas só tornam tudo mais postiço...

      Eliminar