terça-feira, agosto 15, 2017

Um Deus (sei que dizem que são muitos mais) Distraído...

Não sou muito entendido nas coisas de Deus, talvez por ter medo de acreditar em coisas para as quais a única explicação terrena que existe, é essa coisa a que se chama fé.

Claro que quando ouço dizer que ele está em todo o lado, fico com a sensação de que ainda é mais distraído que eu. Sei que quem tem fé, defende-o com unhas e dentes e diz que temos de "sofrer", e que é esse sofrimento que nos dá a vida eterna. 

Nas capelas com abóbadas esféricas, há outro Deus que ainda vai mais longe, em vez de vida eterna, oferece quase duas dúzias de virgens a quem dá tudo por ele.

Mas quando olho para o mundo, para os exemplos dos sacerdotes e dos fieis mais exarcebados, fico com a sensação que fomos abandonados por praticamente todos os Deuses...

Acho mesmo que o único que permanece de braços abertos, dia e noite, impávido e sereno, é o Cristo Rei, que até parece feito de pedra e cimento. É preciso esclarecer que não foi ele que virou as costas à fotografia, foi o fotógrafo que escolheu este ângulo...

(Fotografia de Luís Eme)

6 comentários:

  1. Muito boa a observação sobre o fotógrafo que escolheu as costas de Deus. Eu acredito, Luís. Mas não sigo multidões.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acredito numa força superior, qualquer, Letícia, mas encontro tantas contradições nas religiões, que fico de fora, a ver passar a procissão. :)

      Eliminar
  2. Não acredito em deus ou deuses e as questões místicas estão muito distantes de mim. Acredito na força do ser humano e nas forças da natureza.
    Quanto à tua foto, Luís, gosto do plano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tento não acreditar, Isabel, mas que há coisas muito estranhas, há. :)

      Eliminar
  3. E se calhar virou mesmo as costas...
    Um abraço, Luís.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pelo menos alguns indícios, Graça. :)

      Eliminar