quinta-feira, maio 25, 2017

Uns Dias de Secura e Outros de Grandes Bebedeiras...

Hoje faço como alguns jornais, coloco um título que pode ser tudo, mesmo que depois de espremido, seja quase nada.

Estes meus dias de secura ( e de grandes bebedeiras...), não têm nada a ver com bebidas, com mais ou menos álcool. É apenas mais uma metáfora da vidinha...

Falo sim desta "doença" que é o escrever. Nos últimos tempos tenho escrito pouco.  Claro que não estou a falar da quase ligeireza diaristica com que vou escrevendo na blogosfera. Falo sim das ideias mirabolantes que surgem do nada e que são capazes de encher uma folha A4 em menos de cinco minutos, como me aconteceu hoje, ainda antes das oito da manhã. Muito por culpa das personagens, que devem entrar pela janela, que já estava ligeiramente aberta, para que o Verão não ficasse apenas pela rua...

Depois de tudo o que escrevi logo no começo do dia, fiquei a pensar que o  normal era não me apetecer escrever. Ainda por cima as minhas palavras estavam cheio de moralismos... 

Talvez fosse boa ideia deixar de "beber", mas há coisas que não controlamos mesmo.

(Fotografia de Luís Eme)

6 comentários:

  1. Essa uma situação que quererá controlar? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é controlável, Catarina. :)

      Eliminar
  2. O pânico da falta de inspiração?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem pânico, Elvira. Apenas uma constatação. A vida é assim.:)

      Eliminar
  3. Luís, é mais uma folha A4 para um novo livro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já não escrevo a pensar em livros, Isabel.

      Escrevo porque preciso. É uma necessidade interna (para não malucar de vez).:)

      Eliminar