sábado, outubro 03, 2015

A Maioria que Perde Quando Ganha...


Por hoje ser dia de reflexão, podemos olhar de uma forma mais abrangente para o universo eleitoral do nosso país, para a maioria que embora ganhe as eleições fica sempre a perder, por se colocar à margem do acto eleitoral.

Como já perceberam refiro-me aos abstencionistas, que passam a vida a dizer mal de tudo e depois quando chega a altura em que podem decidir alguma coisa (escolher a força política menos má para governar...), ficam em casa.

Por muito descontentes que estejamos com o sistema ficamos sempre a perder.

Falo por experiência própria. Nas últimas eleições autárquicas, abstive-me pela primeira vez. Não quis votar na CDU, por achar que já estavam  à tempo demais no poder (e estão, desde que há eleições livres...) e também não me apeteceu votar na oposição, por "não existir" até dois ou três meses antes das eleições.

O mais curioso é que a minha abstenção (e a dos mais de 60 % dos almadenses - algo que devia fazer pensar os políticos...) acabou por voltar a dar a maioria à CDU.

Porque apesar de toda a "conversa da treta" dos analistas políticos,  a abstenção favorece sempre quem está no poder...

E é isso que também pode acontecer amanhã, o dia de todas as liberdades e de todas as decisões.

Escolhi esta ilustração de Alex Colville, porque ao contrário de outros anos, a habitual ida à praia no domingo das eleições não foi aprovada pelo São Pedro...

6 comentários:

  1. Pois é, Luís: votar, mais do que um direito, é um dever. O sofrimento que custou termos direito a votas devia ser o suficiente para as pessoas estarem para sempre gratas e corresponderem. Digo eu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era bom que todas as pessoas pensassem sim.

      Quando fui votar gostar de ver filas, espero que sejam pessoas ansiosas pela mudança.

      Eliminar
  2. Nunca em nenhuma outra eleição, eu ouvi como agora tanta gente dizer que não vai votar. E se a abstenção tem sido grande nas outras vezes. Entre família e amigos tenho tentado combatê-la.
    Por tudo o que deixou escrito, e também porque acho uma grande falta de respeito, pelos militares que lutaram para nos dar o direito de podermos escolher, e pela própria democracia em si.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui em Almada achei que havia uma boa afluência, Elvira.

      E é importante que as pessoas votem para acabar com todas estas mentiras.

      Eliminar
  3. Não conto para as estatísticas da abstenção, só não voto se não estiver na minha área de residência, o que já me aconteceu algumas vezes.
    E hoje já fui cumprir o meu dever.
    um bom domingo!
    beijo
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos deviamos pensar assim, Piedade...

      Eliminar