sexta-feira, setembro 16, 2016

«Aprendemos sempre, mesmo sem darmos por isso.»


O que livro nos faz, mesmo um simples livro de crónicas, com um conteúdo duvidoso para muitos leitores. Falo de "A Liberdade do Drible", as crónicas de futebol de Dinis Machado.

Voltei a sentar-me na quase "sala de estar" do primeiro andar na rua Anchieta, onde ficávamos a conversar sobre tudo e mais alguma. Não me lembro muito do que lhe dizia, passados vinte cinco anos tenho a sensação que me limitava a ouvir. Mas não, devia dizer vários disparates compensados com a sabedoria de um escritor "todo o terreno", filho do Bairro Alto, que me ensinou tantas coisas, sem nunca se ter armado em professor. O cinema, o jornalismo, o futebol, e claro, os livros, eram o sal das nossas conversas, que por vezes também penetravam na nossa intimidade.

Há pessoas assim, que nos ensinam coisas com a maior das simplicidades, quase a pedirem-nos desculpa por saberem tantas coisas... 

Pelo caminho ainda me cruzei com a minha mãe, quando a ouvi dizer, com o seu sorriso suave: «aprendemos sempre, mesmo sem darmos por isso». 

Eu sei que ela tem razão...

(Fotografia de André Kertész)

4 comentários:

  1. verdade.
    adoro esta fotografia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também (e outras e mais outras dele), Laura. :)

      Eliminar
  2. É preciso é termos a humildade para admitir que aprendemos...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Humildade e inteligência, Graça.

      Eliminar