sábado, maio 07, 2016

O Companheirismo Quase que faz Milagres

Eu sei que há "reboliços" bons. Vozes que mesmo quando falam ao mesmo tempo, em vez de nos irritarem, fazem-nos sorrir.

Enquanto conversam e se mexem de um lado para o outro, eles com chaves de fendas ou de bocas na mão, elas com panos que limpam quase tudo, naquilo que podia parecer uma "opereta", mas com acção de verdade. Sim, falo do trabalho com que "erguem edifícios", de um dia para o outro. 

Chegam ao fim do dia com suor impregnado nas roupas, algumas dores aqui e ali - que falam da desabituação de alguns gestos de operários de quem se foi refinando com o bom que a vida proporcionou -, mas sobretudo com uma alegria imensa estampada nos rostos, de quem foi capaz de fazer muito mais do que poderia pensar. E tudo isto pelo amor que sentem à causa colectiva.

Obrigado Companheiros!

(Óleo de Gail Roberts)

8 comentários:

  1. A malta da SCALA, está visto!
    Que bom para ti, Luís! E para a comunidade, obviamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Isabel.

      E não deixa de ser giro que no "toca a reunir", algumas divergências acabam por se esbater.

      Eliminar
    2. Luís, é bom quando o essencial supera o acessório.

      Eliminar
    3. É decisivo para que tudo corra bem, Isabel.

      Eliminar
  2. Assim e que é bonito! Um por todos e todos por um!!

    Associativismo é isso mesmo. Juntos para o trabalho e unidos no lazer...:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, Janita.

      Associativismo é isso.

      Eliminar
  3. Quando há amor pelo que é de todos a colaboração é uma forma de manifestar esse amor.
    Um abraço e feliz dia

    ResponderEliminar