sábado, março 29, 2008

A Ponte e os Feijões

Claro que o Vasco da Gama não iria achar graça à brincadeira, ir buscar os "feijões" em vez de lembrar a sua figura ou a obra impar da engenharia portuguesa... mas eu sou de facto um tipo estranho.

Só um tipo estranho é que resolveria escrever sobre as sete toneladas de feijoada que foram devoradas pelos 15.000 "heróis", que quiseram entrar para o "guiness", colocando em segundo plano os 730 mil metros cúbitos de betão e as 100 toneladas de aço, num investimento de mais de 200 milhões de contos, naquela que ainda é a segunda ponte sobre o Tejo da Capital, que aproximou a Margem Sul mais ribatejana de Lisboa.
Esta "magnífica" e comestível inauguração aconteceu há dez anos...

17 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Há quem não goste de perder nem a feijões! Diz o povo...

    :)Beijinho Luís M.

    ResponderEliminar
  3. Qual será a ementa para o novo aeroporto?

    ResponderEliminar
  4. lembro-me muito bem de ver esta cena na televisão... achei um espectáculo digno de ser observado ao pormenor, as pessoas o espaço, essencialmente o aparato da situação.
    Confesso que tanta feijoada e aquelas panelas industriais me tiram o apetite... porque os olhos também comem :)
    beijo Luis.

    ResponderEliminar
  5. Como não tenho endereço de e-mail do autor, respondo ao comentário no post do http://baiadoseixal.blogspot.com:

    Não foi uma saida de mansinho, apenas encostei a porta e abri uma loja ao lado, visite: http://velasdotejo.blogspot.com

    Há mais guardadores do Tejo por estas margens...

    ResponderEliminar
  6. Fotografia tua? Eras um dos heróis? :P

    ResponderEliminar
  7. Olá Luís,
    Lembro-me disso, mas... já passou tanto tempo!?

    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. uma inauguração à boa maneira portuguesa, luís :) no outro dia vi uma reportagem completa sobre os dez anos da ponte. é incrível!

    beijinho grande*

    ResponderEliminar
  9. Especialmente os portugueses do "guiness", M. Maria Maio...

    ResponderEliminar
  10. Já somos dois, Manuela, para mim, a comida não é um "desporto de multidões"...

    ResponderEliminar
  11. Já sei. Fixe.

    As velas devem estar esticadas ao vento...

    ResponderEliminar
  12. Não... nem que me pagassem, Ignota.

    Gosto pouco destas confusões de milhentos...

    ResponderEliminar
  13. Já, o tempo não pára... a expo 98 foi há quase dez anos, Berta-Helena...

    ResponderEliminar
  14. Podes querer Alice...

    Os portugueses (devo ser estrangeiro, nestas coisas...) pelam-se por aventuras destas...

    ResponderEliminar
  15. um pouco tardia, :) inauguro aqui um abraço.



    pelas memórias....que sob o signo do aço certo vai deixando aos nossos olhos.


    bom dia. Luis.

    ResponderEliminar