segunda-feira, outubro 24, 2016

Encontro com a "Deusa do Absurdo"...


Como a natureza não lhe ofereceu a beleza da musas, desde cedo que utilizou a imaginação para ser o centro das atenções.

Tenho quase a certeza que ela pintou o cabelo de verde antes da senhora que canta há mais cinquenta anos o "hino" do Sporting. Mas também utilizou o azul, o laranja e um ruivo quase Benfica.

E claro que a restante indumentária tinha de fazer "pandã" com o cabelo, transformando-a quase na "rapariga-palhaço" do liceu.

Nada que a incomodasse. O importante era dar nas vistas, ficar presa a olhares e comentários (mesmo que alguns fossem quase sujos...).

Trinta e alguns anos depois, cruzámos-se na cidade. 

Sem saber nada da sua vida, percebi que ainda mantinha alguma coerência na vontade de ser diferente, embora tivesse perdido, naturalmente, a graça, o "motor" com que se alimentava na juventude...

Agora sim, é uma perfeita "Deusa do Absurdo"...

(Desenho de Pablo Picasso)

4 comentários:

  1. Andei por aqui actualizando leituras. Continuo longe de casa e sem pc.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Pois, acredito que sim, há quem queira dar nas vistas sem saber por vezes as figuras (ridículas) que fazem.
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Ridículo não existe, Piedade. :)

      Eliminar