domingo, maio 25, 2014

A Liberdade de Votarmos ou Não


O café que frequento fica a menos de quinhentos metros da escola onde votei, ou seja não devíamos  ter falado de eleições nem de políticos.

Mas falámos. Sabíamos que a abstenção ia ganhar mais umas eleições. Provavelmente foi por isso que fomos todos votar.

Eu tinha ficado "escaldado" nas últimas autárquicas, já que ao não votar acabei por contribuir para o regresso da maioria à CDU. Mas estava tão chateado com a forma como se faz oposição em Almada, que resolvi faltar a este compromisso com a democracia. E fiz mal.

Compreendo as razões porque muitas das pessoas não vão votar: não se revêm nos nossos partidos nem na forma como se faz política em Portugal, e claro, nas pessoas. Só lamento que não tirem ilacções como eu tirei com a minha abstenção. Normalmente favorecemos sempre os partidos mais votados, ainda que estes aproveitem a boleia da abstenção para justificar as derrotas.

Acredito que se a abstenção fosse menor, a derrota da "Aliança Portugal" seria maior...

O óleo é de Heiner Altmeppen.

4 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=ymuF7uG6wis

    ResponderEliminar
  2. sem dúvida, "Mar Arável".

    muitas vezes são os que mais falam em mudança, mas fazer algo por isso, está bem está.

    ResponderEliminar
  3. Tal como eu tinha dito, na hora de votar os eleitores preferiram não fazê-lo.É sempre a mesma coisa
    Um abraço e bom domingo

    ResponderEliminar