terça-feira, janeiro 02, 2018

A Arte de Fingir Recomeços...

Podemos fingir que houve algo que recomeçou ontem (e nem sequer é uma má maneira de entrarmos no ano de 2018...) e que agora as coisas vão ser diferentes, para melhor (Já dizia o poeta que para pior já basta assim...). Mas a vida diz-nos que as coisas não são "bem assim"...

Claro que se mudarmos de rua, de cidade ou de país, pelo menos por uns tempos, sabemos que as coisas vão ser diferentes.

O problema maior que sinto a cada ano que passa, continua a ser a gestão do tempo. Queria ver se resolvia melhor este problema neste ano que começa, me tornava mais "disciplinado" e "independente" dos outros.

Vai ser difícil, mas com a tal "disciplina" e se criar o hábito de dizer mais vezes "não", sei que vou ter um ano mais rico do ponto de vista criativo.

Como de costume não estou refém de grandes objectivos ou desejos (a "vidinha" farta-se de me dizer que os pequenos e médios são sempre mais fácil de se cumprirem...), pelo que o 2018  vai andando por aí, tal como eu...  

(Fotografia de Luís Eme)

6 comentários:

  1. sinto-me sempre optimista no início de cada ano :)

    bom ano, Luís.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sinto-me quase igual, Laura.

      Mas esperançado que algumas coisas mudem. :)

      Eliminar
  2. Viver é um constante recomeçar...
    Que o ano de 2018 te traga tudo o que mais desejas.
    Um abraço, Luís.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Graça.:)

      Que sim, para todos nós.

      Eliminar