sábado, janeiro 24, 2015

O Gostar de Ouvir Vozes


Nunca fui adepto das mensagens de telemóvel. A maior parte das vezes até me esqueço que elas existem. E que ficam "mais em conta" que um telefonema.

Isto só pode ter a ver com o meu gosto em ouvir as vozes das pessoas com quem quero falar, por muito estranho que possa parecer.

E depois há ainda o meu lado de "resistente" a uma série de coisas que finjo não serem necessárias.

Mas o pior é que também não levo a sério as mensagens que recebo. Muitas vezes ouço os seus dois toques de manhã e só ao fim do dia é que vou ver o que se passa neste mundo telegráfico, de onde tento escapar. 

Foi por isso que quando a quis ajudar, dizer-lhe onde ficava o "Cine-Incrível", já era tarde. Tinha-se socorrido de um outro "informante"...

Mas nem tudo é mau, ainda que só respondesse ao fim do dia, tive o prazer de ouvir a sua voz e de combinarmos beber um café um dia destes.

O óleo é de Zachary Thornton.

6 comentários:

  1. Ouvir a voz de alguém. Fiquei a pensar que também não gosto de modos impessoais de comunicar...
    Um abraço, Luís.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas são os tempos de hoje, em que os miúdos são capazes de estar lado a lado em silêncio, a enviar mensagens uns aos outros, Graça.

      Eliminar
  2. Também não gosto de mensagens. Ouvir a voz da pessoa é sempre muito mais interessante.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sentimos mais calor humano, Elvira.

      Eliminar
  3. uso muito os sms, mas uma voz é sempre uma voz.....

    :)

    ResponderEliminar
  4. eu nem por isso, Piedade. :)

    ResponderEliminar